Quero Que Se Esqueça

Quero Que Se Esqueça

 

I

Quero que se lembre dessa dor,

Quero que se lembre dessa intensidade,

Quero que se lembre dessa mácula.

 

A mácula da santidade,

daquilo que todos adoram,

que todos exaltam

e que todos endeusam.

Que apotearam como sinal supremo

de redenção.

 

Aquilo vil,

maligno,

torturante.

A sangria final

A exalação terminal

A tortura imoral.

 

Amor

Ó, horror

Ah, dor

Quero que se lembre de amor

Quero que se lembre de maldição

Quero que se lembre de tentação.

 

 

II

o sal que escorre é aquele que arde

na ferida da alma que derrete a carne

florida e que abate a ressecada face

da mente pensante em bobo semblante

Anúncios

Diálogo/Monólogo

Diálogo/Monólogo

 

Esperei o mundo parar de chover

sentei e observei a água escorrer

mas o sal que essa água levava

estava em doces faces fadadas

ao sal do esforço

ao sal da exaustão

ao sal da dor

ao sal da solidão.

 

 

E quando vi que não haveria fim

sentei e observei um triste motim

da derrota do orgulho das cores

e a vitória do cinza infeliz

o cinza da cidade

o cinza do céu

um cinza da vida

um cinza na vista.

 

 

Deitado, encolhido, largado ao fado

sobrevivo de doces palavras amargas

pois respiram, comem e dormem; é um fato

mas de nada me servem se continuam caladas

as palavras sentidas

são palavras gritadas

é a palavra existir

é a palavra finir.

 

JUNTOS

JUNTOS

I – Os ventos e o tempo

Aquelas memórias

que juntos construímos

se foram com os ventos

em um porto de lamentos

onde juntos gritamos

promessas ao vento

de se perder no tempo

onde juntos caímos

chorando os tormentos

de ter vidas fadadas

onde juntos morreremos.

II – As dores e as sombras

Todas aquelas dores

que juntos causamos

se foram com os beijos

e voltaram com as flores

que juntos esmagamos

pois deitamos nas sombras

de uma criatura uivante

onde juntos sussurramos

esperanças e sonhos

mas só tivemos sonhos

de onde juntos morreremos.

Ventos do tempo, dores nas sombras.

 

 

I

Memórias construídas com ventos

Lamentos gritados ao vento

Tempos caídos em tormentos

E fadados, juntos morreremos.

 

II

Dores causadas por beijos

Flores esmagadas nas sombras

Uivos sussurrados em sonhos

Pesadelos onde juntos viveremos.